MEDIA OVERKILL

Ou Como Criar Um Astro Só Para Depois Matá-lo

 

Eu não ligava muito para o Michael Jackson no início dos anos 90, época em que eu ainda era adolescente. Eu gostava mesmo era é de Heavy Metal e do pós-Thrash, tipo Pantera. Eu era a "metaleira" que ouvia o Cowboys From Hell do Pantera e balançava a cabeça (por isso que era "headbanger") ouvindo Ozzy Osbourne.

Também era fã radical do Black Sabbath. Dessa forma, a música de Michael Jackson era muito "leve" e "bonitinha" para o meu gosto.

Mesmo assim, a notícia acerca de um possível caso de abuso sexual infantil contra Michael Jackson me chocou, porque eu tinha crescido ouvindo a sua música. Thriller foi parte da trilha sonora da minha infância e eu costumava brincar enquanto ouvia Bad.

A gente comentava sobre o assunto na escola: "não acho que ele tenha feito isso", "esse cara não machucaria uma mosca." Eu acreditava que Jackson era inocente.

Os garotos e garotas da escola pareciam concordar comigo mas, na realidade, estávamos todos preocupados demais com o vestibular no ano seguinte para despender o precisoso tempo que tínhamos para estudar Matemática e Física lendo notícias de jornal sobre Michael Jackson e o menino que o acusava. Então nós acabávamos recebendo a notícia da forma mais fácil e parcial possível: assistindo televisão.

Televisão era a forma mais rápida e sofisticada de receber informação no início dos anos 90.

A Internet nem existia naquela época. Eu só tinha visto algo parecido nos filmes de ficção científica do Exterminador do Futuro.

Por outro lado, a Imprensa estava interessada em só mostrar um lado da história, pouco importando se fosse ou não verdade. O que é mais impressionante é que eles nunca noticiaram, por exemplo, como o pai do adolescente que acusava Michael Jackson tinha ouvido de seu filho a primeira acusação contra o cantor.

Tampouco os jornais informaram que o pai do adolescente era roteirista de cinema. Ele também era dentista (aparentemente esse era seu sustento) e, assim, ele sabia como usar certas drogas e seus efeitos. O nome deste homem era Evan Chandler e seu filho se chamava Jordan. Para aqueles que não sabem, e que são muitos, Evan deu a seu filho sodium amytal, um medicamento controverso que as pessoas acham que se trata de "um soro da verdade." As informações sobre esse medicamento podem ser achadas, em inglês, no artigo a seguir:

http://yourtotalhealth.ivillage.com/sodium-amytal-interview.html

Outro artigo, dessa vez em Português, da revista Super Interessante:

http://super.abril.com.br/superarquivo/1995/conteudo_114495.shtml

 

A seguir encontra-se a tradução de parte do primeiro artigo: Some of the information contained on this site is transcribed bellow:

“Pessoas que desejam o utilizar o amital do sódio ou hipnose para descobrir memórias perdidas devem ser alertadas que o mencionado medicamento e a hipnose não podem ser considerados como "soro da verdade." Os procedimentos que envolvem ambos alteram a consciência do paciente que "pode apresentar sintomas patológicos de dissociação que antes não apresentavam." , segundo o ISSD. Enquanto que o Amytal do Sódio e hipnose não necessariamente melhoram a memória, eles PODEM aumentar a crença do paciente de que sua memória é verdadeira, mesmo sendo falsa e distorcida.


Tanto as entrevistas feitas sob o efeito do amital do sódio quanto aquelas feitas sob hipnose devem ser feitas por profissional competente que evite perguntas que possam sugerir lembranças. É aconselhável que os pacientes e terapeutas também gravem as entrevistas para que posteriormente verifiquem a possibilidade de contaminação das memórias. É importante informar que as memórias ou experiências obtidas através do amital do sódio ou por hipnose podem não ser admitidas como testemunhos em alguns estados.“

 

As agências de notícias tampouco informaram que o pai do adolescente era um roteirista frustrado e que pagava somente 500 dólares de pensão alimentícia para o filho. (fonte:wikipedia)

Não, eles nunca transmitiram tais notícias. Então o que foi que eles transmitiram? Eles noticiaram rapidamente que Michael Jackson tinha feito um acordo com os pais do garoto para evitar ser processado judicialmente.

Muitas pessoas, eu inclusive, passaram a achar que Jackson era culpado, pois se "ele havia dado dinheiro para o garoto, então ele devia estar escondendo alguma coisa."

Os noticiários nunca divulgaram que o acordo firmado entre as partes era de natureza civil, e não criminal. Eles também nunca disseram que o adolescente havia sido chamado para testemunhar e havia se recusado.

A seguir encontram-se transcritas partes do aludido acordo, todas traduzidas para o Português:

“Este acordo confidencial não configura, sob nenhuma hipótese, que Jackson agiu de forma errada com o menor, Evan Chandler, June Chandler, ou qualquer outra pessoas,tampouco significa que o menor, Evan Chandler ou June Chandler tenham qualquer direito contra Jackson. Jackson especificamente não reconhece qualquer tipo de responsabilidade, e nega qualquer ato ilegal contra o Menor, Evan Chandler, June Chandler, ou qualquer outra pessoa. As partes reconhecer que Jackson é uma figura pública e que sua imagem é fonte importante de renda. As partes reconhecem que Jackson optou pelo acordo a fim de evitar prejuízos financeiros que ele pudesse a ter no futuro.

Mais adiante no mesmo documento, as partes concordam que:

“As partes reconhecem que o pagamento do presente acordo, em conformidade com o parágrafo 3, diz respeito a  alegações de Jordan Chandler, Evan Chandler e June Chandler quanto à compensação por alegados danos pessoais advindos de ação por negligência e não por alegações de abuso sexual."

Assim, esse não foi um acordo por "abuso sexual", mas sim por negligência.

O acordo pode ser lido, na íntegra, aqui :

>>settlement<<

 

Como eu tive acesso a isso?

Foi nos seguintes sites:

http://www.thesmokinggun.com/

http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://www.thesmokinggun.com/graphics/art3/0616041jacko5.gif&imgrefurl=http://floacist.wordpress.com/2007/08/30/the-1993-settlement-myths/&usg=__2aFNsWzxSrGgl1kIT9Bm0gKtQ98=&h=900&w=700&sz=41&hl=pt-BR&start=2&sig2=V833snhYTQC7cDRyy5Fw9w&um=1&tbnid=DxE6PpwLcbnZnM:&tbnh=146&tbnw=114&prev=/images%3Fq%3Djordan%2Bchandler%26hl%3Dpt-BR%26client%3Dfirefox-a%26rls%3Dcom.google:pt-BR:official%26sa%3DX%26um%3D1&ei=LcVSSs3GI43DtwfmoIzkCQ

 

Por que nunca noticiaram isso?

 

É importante relembrar que não havia Internet naqueles dias, assim, não havia Google ou Yahho. As notícias chegavam devagar e canais por assinatura eram uma realidade distante para a maior parte do mundo. Dessa forma, os jornais eram a melhor maneira de nos mantermos informados.

Se eu fosse repórter, eu pesquisaria muito para obter informações, mostraria os dois lados da história e deixaria que o leitor decidisse o que pensar por si mesmo. Eu apenas informaria, mas jamais manipularia as pessoas.

Ocorre que as coisas que estou escrevendo neste momento jamais nos foram mostradas. Por quê? Será que eles simplesmente queriam ganhar dinheiro vendendo revistas e jornais, porque as notícias simplesmente eram mais escandalosas? Acredito que sim.

Anos se passaram e a Internet foi criada. "Ao toque de botão eu estou há milhas daqui." A informação flui facilmente e até mesmo as gravadoras estão enloquecendo com o fenômeno dos dowloads ilegais de música. E, nesse admirável mundo novo, outra acusação envolvendo abuso de menores foi feita contra Michael Jackson.

Eu já era advogada à época dessa segunda acusação, tinha internet banda larga e já sabia uma ou duas coisas sobre a natureza humana.

Eu já trabalhava como advogada há algum tempo e tinha mais interesse em obter informações do que anos antes, quando eu era estudante de ensino médio e só me preocupava com provas de escola. A música antiga de Michael Jackson havia se tornado interessante para mim novamente, mas eu ainda gostava mais do Pantera.

Eu havia assistido ao documentário de Martin Bashir "Vivendo Com Michael Jackson" e havia ficado impressionada.

O documentário acima mencionado mostravo as excntricidades de Michael, sua necessidade de brincar como uma criança e seus gastos excessivos. Esso documentário também mostrou que alguns dos amigos de Michael eram garotos. O garoto de apareceu eram um adolescente chamado Gavin Arvizo que parecia depender muito de Michael emocionalmente.

Nessa época, já adulta, eu pensei: "que tipo de mãe deixa o filho dormir na casa de um homem adulto que nem é parente num mundo maluco como o nosso, especialmente quando esse homem é Michael Jackson, que já objeto de tantas controvérsias?

Era óbvio que a minha maneira de pensar era diferenta, pois eu já tinha 28 anos e tinha esperiência em Direito. Eu já tinha perdido um emprego, arranjado outro, meu coração já sido partido algumas vezes e, o mais importante de tudo: eu havia aprendido que toda história tem dois lados.

Pouco depois da transmissão desse documentário, a mãe de Gavin Arvizo acusou Michael Jackson de molestar seu filho.

Note-se que o termo usado foi "molestar", não "estuprar".

A Imprensa criou um circo ao redor disso tudo. O que mais chocava as pessoas era que Michael Jackson considerava normal dormir com um garoto.

Permitam-me relembrá-los que Michael Jackson disse que "dormir" com uma criança seria normal. Como advogada, eu aprendi a prestar muita atenção a detalhes. Eu também conheci algumas pessoas que foram molestadas quando crianças e já ouvi as histórias mais horríveis no meu trabalho. Acredito que tenha conhecido pelo menos um pedófilo e sou amiga pessoal de uma Promotora que já trabalhou lidando com esse tipo de gente.

Depois de um julgamento longo, Michael Jackson foi absolvido, mas só depois de ouvidas cerca de 200 testemunhas.

A Imprensa, nesse último caso, foi um pouco menos parcial e chegou a noticiar que a mãe de Gavin Arvizo tinha um histórico de aplicar golpes. Eis um link sobre o assunto:

http://en.wikipedia.org/wiki/People_v._Jackson

Ocorre que a sombra do caso Jordan Chandler ainda pairava sobre a reputação de Jackson. Tudo bem, ele era inocente no caso de Gavin Arvizo, mas era ele inocente no caso Jordan Chandler?

A maioria das pessoas achava que não e Michael se tornou motivo de piadas em todos os lugares. Comediantes faziam piada o tempo todo com o seu nome e a sua imagem, sempre insunuando que Michael Jackson era um pedófilo.

Seu comportamento, que sempre havia sido excêntrico, pareceu ter piorado, com as constantes cirurgias plásticas e o clareamento de sua pele. Ele acabou por se tornar ainda mais recluso e se mudou com suas crianças para o Bahrain.

Michael Jackson morou no Bahrain por alguns anos enquanto que o personagem que ele havia criado era transformado em um monstro pela Imprensa. Até mesmo o South Park e o Casseta e Planeta fizeram piada com ele.

Mais recentemente, Michael Jackson retornou para os Estados Unidos e alugou uma mansão em Los Angeles. Ele havia marcado 50 shows na arena O2 em Londres. Todos os ingressos já estavam esgotados. Os ensaios iam bem e falava-se que sua volta seria triunfante. Versões remixadas de suas músicas, feitas por jovens artistas, haviam apresentado a sua obra a uma nova platéia.

Então o inexplicável aconteceu: Michael Jackson teve um ataque cardíaco. E ele só tinha 50 anos.

Não era velho, mas fala-se que ele tomava medicação controlada em excesso há tempos. As notícias acerca das causas de sua morte ainda permanecem nebulosas.Talvez a Imprensa consiga fazer finalmente seu trabalho direito e nos informe corretamente. Quem sabe?

Eu fiquei chocada quando soube da notícia. Eu não era uma fã, mas admirava muito o seu trabalho, e fiquei triste com a sua morte.

Agora, com a Internet, eu comecei a procurar notícias na internet sobre a primeira acusação contra Michael Jackson.Todos os documentos que encontrei, que são bastante precisos, foram postados nos parágrafos anteriores.

Começou um rumor na Internet, colocado em diversos blogs, sobre uma alegação de Jordan Chandler, agora um adulto, negando todas as acusações antigas contra Michael Jackson. Esses rumores até agora não foram negados por Chandler ou por ninguém de sua família. Muitos de nós já leram sobre isso.

Não importa se esses rumores foram iniciados ou não por Jordan Chandler, o que se pode ter certeza é que Jordan Chandler jamais aparecerá. Se ele aparecer, ele corre o risco de ser processado, e ele sabe disso.

O que podemos afirmar com certeza sobre Jordan Chandler e seu pai é que ambos provaram não ser confiáveis e que suas alegações não são válidas. Pode-se afirmar isso com base nos seguintes fatos:

•  Jordan Chandler nunca testemunhou em um tribunal. Quando ele fez suas alegações a um policial e a um psiquiatra, estas envolviam atos como "tocar", "masturbar" e a prática de sexo oral. Entretanto, na primeira vez que ele fez alegação desse tipo, ainda sob o efeito do sodium amytal, ele havia dito ao seu pai simplesmente que Michael Jackson havia "tocado o seu pênis." Ele não mencionou masturbação ou a prática de sexo oral. Por mais errados que tais atos sejam, é flagrante que "tocar o pênis" é diferente de "masturbar" ou de praticar sexo oral. Eis a primeira contradição.

•  Jordan Chandler recentemente processou seu pai por "Aggravated Assault", que seria algo como "Lesão Corporal de Natureza Grave" e obteve medida restritiva contra o mesmo. Assim, Jordan Chandler está processando seu pai por quase ter lhe matado com um golpe na cabeça dado com um objeto de mais de 6 quilos. Esse documento encontra-se acessível nos links a seguir:

http://lawlibrary.rutgers.edu/decisions/appellate/a0422-05.opn.html

>>click here<<

 

É, de fato, muito suspeito que um pai responsável e preocupado, assim como Evan Chandler se mostrou de início, tenha praticado os atos a seguir descritos:

“O juiz considera que o Autor provou que ele e seu pai, ora Réu, moravam na mesma residência quando o Réu o atacou pelas costas, batendo em sua cabeça com um peso de cerca de seis quilos, posteriormente jogando spray de pimenta em seus olhos enquanto tentava lhe sufocar. O Juiz também considera que o peso poderia ter casado sério dano físico ou morte. Dessa forma, o Juiz considera que o Autor provou Lesão Corporal- Aggravated Assault."

A imprensa jamais noticiou isso. Por quê?

Outro fato a se ressaltar é que o acordo mencionado anteriormente foi feito pelo corretor de seguros de Michael Jackson, que agiu dessa forma contrariando os desejos de Jackson e de seus advogados.

Fonte da informação:

http://floacist.wordpress.com/2007/08/09/jordan-chandler/

 

http://lawlibrary.rutgers.edu/decisions/appellate/a0422-05.opn.html

 

Parece que Michael Jackson foi morto pela Imprensa, que o estressou de tal maneira que o levou a ter um enfarte fulminante.

Um amigo me disse que "2 casos mal contados de pedofilia em Neverland em 20 anos, com todas aquelas crianças indo lá... Fosse isso verdade, teriam sido centenas de casos!"

Tenho que admitir que concordo com o meu amigo. Eu acredito firmemente que Michael Jackson foi tratado injustamente pela Imprensa. Eles o condenaram sem direito de defesa, sem saber o que é "Devido Processo Legal".

A Imprensa o matou em vida, condenando alguém que foi um dos maiores artistas de todos os tempos a ser objetivo de piada.

Como uma velha fã de Heavy Metal, sinto que os seguintes versos da banda alemã Scorpions se aplicam perfeitamente à situação:

“They're watching me

They're watching you

Taking all the world under control

They make you laugh

They make you blue

In the end they try to eat your soul

Satellites transmit the latest media thrill

We can't escape the media overkill”

Tradução:

Eles estão me vendo

Eles estão lhe vendo

Tomando o mundo inteiro sob seu controle

Eles lhe fazem rir

Depois lhe fazem ficar triste

No fim, eles devoram a sua alma

Satélites transmitem as últimas notícias

Não conseguimos escapar do massacre da mídia

Os jornalistas irresponsáveis, que igonraram a ética que se supõe um formador de opinião possui, nos levaram a pensar da forma que achavam melhor. Seguiram os conselhos dos nazistas de que "uma mentira repetida muitas vezes se torna uma verdade." Acho que foi Goebbels que dizia isso. Eles manipularam as pessoas para que estas ignorassem Michael Jackson, condenando-o à morte em vida. E eles fizeram isso só para vender mais jornais.

É, Michael Jackson sofreu muito com o "Massacre da Mídia." Ele foi exposto, decomposto e destruído. A Imprensa o matava aos poucos, distorcendo toda a verdade e ao fornecer as informações corretas.

Eu não sou jornalista. Sou advogada e musicista e não tenho sido uma grande fã de Michael Jackson há anos. Dessa forma, ninguém pode dizer que sou uma fã que se recusa a ver a realidade. Eu analisei os fatos que não foram apresentados e os coloquei aqui.

Agora cabe a nós decidirmos como devemos pensar. Não vamos engolir o que nos obrigam. Esse homem foi um mártir da mídia, que, por fim, o destruiu. We were just the mass, manipulated into thinking the way they wanted. Para a Imprensa, nós éramos somente uma Massa disforme, a ser manipulada da forma como eles desejavam.

Outra coisa interessante a se ressaltar é que Jordan Chandler não era criança á época das acusações, mas sim um adolescente de 13 anos. Na nossa cultura, um adolescente já tem capacidade de distinguir o que é certo ou errado, tendo a capacidade de perceber quando alguma coisa estranha está acontecendo. Garotos de 13 anos já são pais, vivem, às vezes até matam, e levam uma vida bastante diferente das crianças. Um garoto de 13 anos que houvesse passado por isso, de verdade, teria a capacidade de fazer as alegações sem o auxílio de remédios controversos, podendo falar livremente sobre o que tivesse acontecido.

Eu posso afirmar isso com certeza, pois tenho experiência na área de Direito de Família. Além disso, tive o desprazer de conhecer pessoas com tendências pedófilas, isto é, pessoas que visitam sites com pornografia infantir e até abusam de seus animais da pioor maneira possível. Eu não acredito que um pedófilo iria se expor da maneira como Michael Jackson se expôs do documentário de Bashir.E quanto a vocês? Bom, eu já expressei a minha opinião. Cabem a vocêm pensarem por si mesmos.

Outros links interessantes:

http://www.dailymail.co.uk/news/article-1196633/How-Jacksons-surgery-desperate-bid-look-like-father-hated.html

No artigo acima, o biógrafo de Michael Jackson diz que Jordan Chandler alegava que Michael Jackson era circuncidado. Ele não era.

Eis um blog interessante, em Português:

http://www.reidopop.com/mjbeats/showthread.php?t=5625

 

>>HOME<<